segunda-feira, 26 de abril de 2010

No jardim do Museu da Cidade - Bordallo Pinheiro e Joana Vasconcelos


  Joana Vasconcelos criou uma instalação encantatória de peças de Bordallo Pinheiro - peixes, lagostas, rãs, lagartos,
cavalos-marinhos, macacos, cobras, cogumelos, etc.
  Num jardim de Buxo, cheio de pequenos lagos, estes animais nadam, trepam pelas fontes, balançam nas árvores, sobem pelas paredes, espreitam no meio do buxo, espantam-nos e encantam-nos.
  Parabéns à  Catarina Portas pela ideia e à Fábrica Bordallo Pinheiro pela produção das peças! E à Joana Vasconcelos pela cor, animação e organização artística deste jardim!
 
    E encantem-se também com os pavões - nunca tinha visto espécimes tão magníficos - que vivem e se passeiam soberbamente neste jardim. ( Os pavões não são de cerâmica!)











Aqui está um dos pavões:

 

  (Fotografias de João Pinho)



 

sábado, 24 de abril de 2010

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Joana Vasconcelos - uma arte respigadora

 
  A exposição da artista plástica Joana Vasconcelos, no Museu Berardo - CCB em Lisboa -, com entrada gratuita, é uma arte feita de objectos utilitários, presentes e passados, restos de tecidos, coisas recolhidas de sótãos, de desperdícios, de restos de colecções, talvez de sucatas.
   Cada instalação deve ser demoradamente observada e o visitante poderá deliciar-se com a sua simbologia. Do sofá de aspirinas e da cama de valiuns à burca e à carrinha com senhoras de Fátima, muitos sorrisos se vêem nos rostos de quem olha. 
 Os visitantes podem interagir com algumas das instalações e assim mais se aproximam desta arte que tem, de facto, que ver connosco.
  As fotografias que coloco neste post foram tiradas por um amigo meu numa das visitas que fiz a esta exposição.

 


   









(Fotografias de João Pinho)

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Entre fumos vulcânicos, tornados e comissões de inquérito

(dn.pt)


  O planeta mexe-se, vai-se transformando, a crosta terrestre ajusta as suas fendas, os vulcões entram em erupção, criam novas terras, perturbam os voos dos aviões  (a evolução do planeta não pede licença à civilização humana obviamente), ocasionam incómodos aos humanos, enfim, os media vão tendo trabalho garantido. 
 O aquecimento global vai trazendo sempre novidades. Os tornados e as trombas de água começam a ameaçar com alguma frequência este país, outrora um paraíso climático. Quem vamos culpar? Nós próprios? O processo natural de aquecimento do planeta à medida que nos afastamos do período de glaciação de há dez mil anos?
  No parlamento deste país, as comissões de inquérito são imparáveis, organizando, pouco a pouco, o puzzle gigantesco da corrupção (puzzle de quantos  milhares de peças?), criando nervosismo nos inquiridos ( o ex-ministro Mário Lino já tratava um deputado por Sr. Computador) e a náusea nos espectadores televisivos que não suportam mais a choldra mal cheirosa em que se converteu o espectáculo.
  Entretanto, o trabalho dos deputados relativamente ao orçamento de estado parece ter parado... A governação parece caminhar em ponto morto... De leis, é só conversa!
   Felizmente, o planeta «pula e avança»!

sexta-feira, 2 de abril de 2010

A Ilustrarte 2009 termina no Domingo (dia 4 de Abril)

(publico.pt)


  Se ainda não viu a IV BIENAL INTERNACIONAL DE ILUSTRAÇÃO PARA INFÂNCIA, pode fazê-lo até Domingo, dia 4 de Abril, no Museu da Electricidade.
 A Ilustrarte 2009 apresenta trabalhos de 50 artistas de 14 países (150 ilustrações originais)
 Já vi duas vezes esta exposição e, se não aconselhei antes, faço-o agora.
 É pena que a ilustradora Danuta Wojciechowska não esteja presente. Mas está a Teresa Lima e o André Letria. Gostei muito da italiana Anna Castagnoli, entre outros.

Bullying nos blogues

  


O google comemora hoje o 205º aniversário de Hans Christian Andersen e este blogue a sua 100ª mensagem.
  Por isso gostaria de falar do bullying que pode ser feito nos blogues.
 Os blogues são um espaço de comunicação pública, internáutica, podem ser mais ou menos úteis, devem ter a preocupação de uma informação correcta, que poderá ser mais ou menos desenvolvida, poderão ser blogues mais pessoais ou menos, apenas organizadores de informação, por exemplo. Muitos blogues seleccionam apenas poesia de autores consagrados, outros recolhem artigos informativos ou de opinião de autores devidamente identificados, outros seleccionam quadros de pintores reconhecidos, outros recolhem receitas de culinária, outros apresentam reflexões pessoais, outros são quase diários, outros são essencialmente políticos, etc., etc. A oferta é pluralíssima e ninguém é obrigado a visitá-los ou a deter-se neles.
  Quem faz comentários deveria ser honesto. Limitar-se ao que está escrito ou é apresentado e não tecer afirmações verrinosas que mostram, por vezes, apenas ódio pessoal. Muitas vezes, são pessoas que estão próximas, até pseudo-amigos ou pseudo-familiares que o fazem. Por invejas ou outras motivações mesquinhas! Claro que estes comentários vêm sempre anónimos, o que não quer dizer que quem sabe analisar a linguagem não lhes possa detectar a origem
  Felizmente, os blogues têm sempre a possibilidade de optar pela moderação permanente de comentários. Seria, no entanto, bom, que não existisse gente desta. 
  Eu, por mim, dispenso as visitas dessa gente a este blogue.